In order to bring you the best possible user experience, this site uses Javascript. If you are seeing this message, it is likely that the Javascript option in your browser is disabled. For optimal viewing of this site, please ensure that Javascript is enabled for your browser.

Centro Sebrae de Sustentabilidade

Formulário de busca
Brasil Estados Unidos

Bitten Máquinas

Equipamentos para usinas de reciclagem e compostagem de lixo urbano são o negócio da Bitten Máquinas, uma pequena empresa de Fortaleza, fornecedora de aterros nordestinos

Sobre a empresa

Tempo de mercado: 13 anos

Ramo de atividade: indústria

Localização: Fortaleza (CE)

Colaboradores: 28

Como o Sebrae apoiou : cursos

Publicado em : 03/10/2012

Números

Tecnologia da Bitten Máquinas é 100% brasileira

Vanessa Brito

Trabalhar com máquinas é vocação na família de Raimundo Nonato Bittencourt. Neto de mecânico descendente de francês, que trabalhou na construção da estrada de ferro do Maranhão, e filho de um dono de oficina mecânica de tornearia, Bittencourt dirige a Bitten Máquinas em Fortaleza, há 13 anos. A pequena fábrica produz equipamentos para usinas de reciclagem e coleta seletiva do lixo urbano, desenhados por Bittencourt. “Nasci dentro de uma mecânica. Nossa tecnologia é 100% brasileira”, diz orgulhoso.

O empresário se preparou para a missão de desenvolver e produzir máquinas e equipamentos e também estruturas metálicas. “Desde criança fiz cursos de soldador, torneiro mecânico, ajustador mecânico, etc”, conta ele. Formado em pedagogia de mecânica industrial pelo Senai, passou por treinamento intensivo no Centro de Desenvolvimento Pedagogo (CDEP)  no Pólo Petroquímico de Camaçari/BA. Devido ao espírito empreendedor, não quis o emprego de instrutor do Senai e voltou para Fortaleza “cheio de tecnologias na cabeça” e querendo modernizar a oficina do pai. Diante da recusa dele, resolveu partir para seu próprio empreendimento.

Antes de fundar a Bitten Máquinas, gerenciou uma metalúrgica e foi sócio da BF Construções e Manutenção Industrial, onde adquiriu mais experiência. Em 2000, fundou a Bitten Máquinas para atender o aterro sanitário de Jangurussu, onde fazia manutenção preventiva e corretiva dos equipamentos. Na época, foi convidado para ser representante exclusivo da fábrica de onde vieram os primeiros equipamentos do aterro, mas não aceitou. Queria desenhar e fabricar seus próprios produtos.

Hoje, a Bitten Máquinas produz esteiras transportadoras de coleta seletiva, prensas hidráulicas verticais e horizontais, linha de moagem de plástico, empilhadeira hidráulica manual, carrinhos para coleta, entre outros. Também equipou os aterros sanitários de Arco Verde (PE), Quixadá(CE), Imperatriz (MA), Horizonte (CE) e a unidade de triagem do aterro de João Pessoa (PB).

Atualmente está atendendo o consórcio formado pelas cidades cearenses de Guaiúba, Pacatuba e Itaitinga, que está construindo uma Usina de Triagem no Aterro Sanitário em conjunto. Clientela nova está surgindo no segmento de cooperativas de catadores, para as quais fornece prensas, esteiras, carrinhos e linhas de moagem de plásticos. Raimundo está animado com a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), sancionada pelo presidente Lula no final de 2010, que deverá extinguir os lixões do país até 2014 e gerar a implantação de aterros sanitários em todas as regiões. 

Mercado e concorrência

Raimundo está procurando se especializar mais em equipamentos para reciclagem de resíduos urbanos. “O Brasil é uma potência mundial e a concorrência internacional está crescendo no nosso setor”, justifica. Fabricantes de equipamentos para aterros sanitários de Portugal, Alemanha, Holanda, entre outros países, estão de olho no mercado brasileiro, diz ele. 

Desde a entrada em vigor da PNRS, os negócios melhoraram. “Aí começou a melhorar para a gente “ . A Rio+20 também ajudou muito. Agora é que as pessoas estão se tornando mais conscientes em relação ao lixo”, afirma. “Os aterros foram os primeiros clientes. No início, não foi fácil, pois faltava consciência sobre a questão do lixo”, comenta.  Supermercados, gráficas, concessionárias de veículos, distribuidores e fábricas de papel higiênico são  novos clientes do empreendimento. 

A tarefa de ajudar as cidades a cuidarem de seus resíduos é muito nobre, afirma. “O lixo é um grande problema da humanidade”, ressalta. A meta atual da empresa é se mudar para o distrito industrial de Fortaleza (ainda está no centro da cidade) e ser reconhecida no Nordeste como fornecedora de maquinário para aterros sanitários.(www.bittenmaquinas.com.br )

Compartilhar

Enviar por e-mail
www.bittenmaquinas.com.br )

"/>

Insira até cinco e-mails, separados por vírgula







Conheça outros negócios de sucesso

Casa Gastronômica Expresso 500

DE-LÁ

Cerâmica Montemar

EcoConstruct Brazil