Notícias

Caso de sucesso - Salão de Beleza Dita Bonita

Salão de beleza faz ações ambientais e sociais

Salão de beleza faz ações ambientais e sociais

Por Vanessa Brito

Para o Salão de Beleza Dita Bonita do centro de Cuiabá, cabelos caídos no chão são resíduos preciosos, não são lixo. Eles são coletados e separados cuidadosamente, de acordo com o comprimento e tonalidades, para serem doados a associações e profissionais que confeccionam perucas. Quando prontas, são doadas aos pacientes do Hospital do Câncer de Cuiabá. O salão é ponto de coleta de cabelos, onde as pessoas podem entregá-los para serem destinados ao mesmo fim.

Esta é uma das boas práticas sustentáveis do Dita Bonita. Lozinete Lopes e Eleusa Teodoro são as proprietárias do empreendimento, que está em atividade há três anos. Elas resolveram empreender no salão de beleza, depois de trabalharem por vários anos como securitária e bancária.

Sensíveis às questões ambientais e sociais, incluíram práticas sustentáveis, desde a modelagem e o planejamento do negócio. “Somos espelho de quem somos”, diz Lozinete. “Todos os profissionais que passaram aqui não são mais os mesmos. É o legado do Dita Bonita”, acrescenta.

O nome foi sugerido pela agência de publicidade para homenagear as várias Beneditas, nome de muitas mulheres cuiabanas, em homenagem ao santo protetor da cidade São Benedito. Elas geralmente têm o carinhoso apelido de Dita.

Serviços e conscientização

O Dita Bonita presta diversos serviços: podologia, estética, maquiagem, dia da noiva, esmalteria, depilação laser, tratamentos e corte de cabelo. O público masculino é atendido na parte de barbearia e nos demais serviços.

Sua equipe é composta por 37 funcionários, que passam por treinamentos nas práticas sustentáveis. “Eles são conscientizados sobre os cuidados que devem ter em todas as atividades, como por exemplo, reduzir o consumo de energia e água, descarte correto de resíduos, entre outros”, diz ela. Cada um tem seu copo, pois não se utiliza copos de plástico no salão. Mudanças comportamentais são difíceis e demoradas, mas acontecem, garante.

Os clientes também são alertados sobre os tratamentos mais agressivos, que mudam a estrutura dos cabelos com produtos químicos. “O cabelo começa dentro da pessoa. Certos tratamentos alteram fora, mas dentro também”, argumenta a empresária.

Para evitar o uso excessivo desses produtos, os profissionais contam com dosadores. A clientela é incentivada a hidratar bem os cabelos para repor o que foi retirado nesses tratamentos. Informações a respeito dos produtos a serem usados, antes da aplicação, conscientizam as pessoas. “É uma prática de vida”, enfatiza Lozinete.

Água e energia

Antes de inaugurar o Dita Bonita, as sócias queriam colocar filtros na saída de água para descartá-la limpa na rede pública de esgoto. Não conseguiram efetivar esta iniciativa, devido à falta de saneamento no centro de Cuiabá. As tubulações muito antigas e o desconhecimento sobre ela impediram a implantação dos filtros, lamentam. Torneiras dosadoras de água na lavagem de cabelos e nos banheiros é uma prática que reduz bastante o consumo hídrico.

A manutenção dos equipamentos usados diariamente nos serviços (secadores de cabelo, chapinha, autoclave, ar condicionado, extintores, etc) é periodicamente feita, visando reduzir o consumo energético – no caso do autoclave, garante a esterilização de alicates e instrumentos de manicures e da podologia. O salão nunca foi notificado pela Vigilância Sanitária. Todos os alvarás estão sempre em dia.

A rede elétrica do empreendimento conta com tomadas 220v e 110v. Todas as lâmpadas são LED e os colaboradores desligam as luzes, quando não há ninguém no ambiente. Estes cuidados controlam o consumo de energia, segundo Lozinete.

As empresárias dizem que pretendem implantar energia solar fotovoltaica, quando o custo for mais acessível.  Estão acompanhando o mercado para decidir o momento certo.

Outras práticas

Outros tipos de resíduos (algodão, palitos de manicure, etc), materiais invasivos da podologia e instrumentos cortantes são colocados em caixas coletoras separadas para depois seguirem para empresa especializada, que faz a destinação final. Vidros com pouco esmalte são doados para projetos sociais.

Todos os produtos adquiridos para atendimento à clientela (cosméticos, xampus, etc) são tecnológicos e atendem às normas técnicas e são menos poluentes. Os materiais recicláveis (papelão, plásticos, etc) são separados e parte é doada às cooperativas de recicladores. Outra parte dos materiais plásticos é reaproveitada para embalar detergente líquido biodegradável, que é diluído em água para fazer a limpeza do salão.  Apenas produtos biodegradáveis são usados na faxina geral do empreendimento.

Elas são sempre requisitadas por projetos sociais, educativos e ambientais da Prefeitura Municipal de Cuiabá e de instituições públicas e privadas para ministrar palestras sobre as práticas sustentáveis do Dita Bonita. O salão se tornou um exemplo.

Faltam políticas públicas que incentivem as empresas a adotar práticas sustentáveis. Quem as faz, deveria receber descontos em impostos, taxas, entre outro, sugere. “Queremos deixar um legado para a cidade”, explica Lozinete.

Há poucos meses, contrataram uma jovem imigrante venezuelana grávida, que foi capacitada como manicure. O bebê já ganhou enxoval. Teve a sorte de conseguir trabalho em um pequeno negócio sustentável, que prioriza lucro, mas também faz questão de ser social e ambientalmente responsável. 

O Salão de Beleza Dita Bonita é cliente do Sebrae MT.

 

 

 

  • Terça-feira, 18 de Dezembro de 2018