Notícias

Contecs 2019

 Uma maratona de conhecimento sobre construções sustentáveis em Cuiabá

Uma maratona de conhecimento sobre construções sustentáveis em Cuiabá

Por Vanessa Brito

Projetos arquitetônicos sustentáveis e exemplares que somam sabedoria ancestral com a tecnologia contemporânea. Economia circular como referência para reaproveitar e ou reciclar materiais descartáveis, visando reduzir a pressão sobre os recursos naturais e os custos da construção.

Prédios que são verdadeiros fornos, em concreto e vidros, sem a mínima interação com o meio ambiente e as condições climáticas onde estão localizados. Projetos de edifícios replicados em diferentes regiões do planeta sem considerar diferenças culturais, históricas, sociais e econômicas.

Sustentabilidade e inovação como aliadas de uma nova ética da construção/arquitetura/design de interiores. A busca de soluções inovadoras e urgentes diante dos sinais de escassez de matérias primas naturais e dos impactos dramáticos que a humanidade já impôs à natureza e ao clima da Terra. As novas certificações que atestam projetos sustentáveis e a importância da inserção do conceito de sustentabilidade na gestão dos negócios da construção, arquitetura e design de interiores.

Estas foram algumas análises, críticas e mensagens dos 23 palestrantes do Contecs 2019 (Congresso Nacional de Tecnologia em Construção Sustentável), realizado nos dias 19 e 20 de junho, no Centro de Eventos Senai em Cuiabá. Entre eles, havia arquitetos, especialistas, designers, engenheiros, empresários e ativistas sustentabilistas.

Esta foi a segunda edição do Contecs – a primeira foi em 2017 -  que reuniu cerca de 250 pessoas, na sexta das 14 às 19h, e no sábado, das 8 às 13h, e das 14 às 21h. Foi uma verdadeira maratona de conhecimento, troca de experiências e informações a respeito dos caminhos que estão sendo trilhados em todo o mundo para fortalecer e consolidar a nova ética das construções sustentáveis.

A rica programação do Contecs 2019 promoveu um ponto de inflexão sobre a atuação do setor da construção civil, arquitetura e urbanismo, e design de interiores.  As mudanças climáticas, as condições sociais e a qualidade de vida das pessoas precisam ser levadas em consideração, desde a elaboração dos projetos até  sua concretização e manutenção, de acordo com praticamente todos os palestrantes.  

“O objetivo foi trazer informação e conhecimento sobre as novas tecnologias de construções sustentáveis, que já existem em Cuiabá, mas que nem sempre quem atua no setor sabe. Falamos também de acabamentos, materiais reaproveitados e reciclados, que têm a mesma ou melhor eficiência comparados com materiais convencionais. Também falamos muito de eficiência energética e projetos que estão na contramão das necessidades do mundo contemporâneo”, afirma Anízio Monteiro.

Ele e Glaucia Lobo são fundadores da Top Designer, uma empresa que funciona como um hub de negócios inovadores e de empreendedorismo no segmento de construções sustentáveis, localizado no centro da capital mato-grossense. Os dois designers de interiores são responsáveis pela realização do Contecs. O público aumentou 30% em comparação à primeira edição do evento, realizada em 2017, segundo Anízio.

O Contecs 2019 foi patrocinado por Pantanal Shopping, IPOG, Finger, Blindex, Luz e Cia, Tecnoobras, Degradê, Wolff Garden, Top Designers, Palle, Lacan, Paulo Molina, Bolo de Arroz, Camicado, Empada Brasil, Dimel, Duo Bass, Sicredi, Sesc/Sesc Pantanal, Empório Brissac, Consultoria Transformar, Home Bio Gás, Reflorteca, Iris Design, Hotel Skala.

O evento teve apoio do Sebrae/MT, IFMT, Univag, CAU/MT, CREA/MT, ABENC/MT, ASPA, GAAE/MT, ARQNORT, ABD, IPHAN. Foram convidados especiais: Teoria Verde, Ecodescarte e Obra Solidária.

Desconexão cultural e climática

A palestra internacional ministrada por Patrick Daly, arquiteto irlandês e professor do Instituto Politécnico de Dublin, encerrou o evento. Ele teve uma casa de alto desempenho em eficiência energética premiada na Irlanda, conquistando os prêmios Sustainable Energy Ireland e Green Energy Awads.

Daly apresentou edificações celtas, medievais, do período georgiano até os dias atuais para demonstrar a transformação da arquitetura na Irlanda, que hoje agrega práticas sustentáveis necessariamente aos projetos. Também falou dos conflitos que  Dublin viveu e ainda vive, quando projetos de edificações modernas surgem, gerando a demolição de casas e edifícios históricos para recebê-los.

“Isto acontece em diversas cidades do mundo. Precisamos de sair de uma arquitetura de impacto negativo para o positivo, urgentemente”, afirmou. A perda da identidade local e a internacionalização da arquitetura causam a desconexão cultural. “É preciso encontrar o equilíbrio entre passado e futuro”, enfatizou.

Outra consequência é o desrespeito com a diversidade do clima. Daly disse que viu edifícios em Cuiabá, que devem ser verdadeiros fornos, pois estão posicionados equivocadamente em relação ao sol, aspecto que povos primitivos consideravam sabiamente em suas construções. Ele também ressaltou que é comum, hoje, ver edifícios sem estratégias de ventilação e que consomem muita energia, dependendo de ar condicionado para oferecer conforto térmico.

Patrick Daly será palestrante da oficina Projeto de Edifícios Sustentáveis no Campus da UFMT em Cuiabá, nos dias 23, 24 e 25/07/19. Informações: cursoslateca.urmt@gmailcom e Inscrições: www.fundacaouniselva.org.br 

Sustentabilidade e tecnologia ancestral

A gerente do Centro Sebrae de Sustentabilidade (CSS), Suênia Sousa, foi palestrante do Contecs 2019. Ela falou sobre a importância crescente da dimensão ambiental nos debates e encontros mundiais, tais como o Fórum Econômico Mundial. Atualmente a sustentabilidade está inserida na gestão e estratégias das grandes empresas, organizações, governos e países, destacou. O CSS produz e dissemina conhecimento, visando a inclusão dos pequenos negócios na nova economia, baseada em sustentabilidade e inovação, informou Suênia.

O arquiteto e autor do projeto do CSS, José Afonso Botura Portocarrero, também ministrou palestra no evento. Ele mostrou fotos e falou sobre várias etnias e suas habitações, do equilíbrio entre elas e a natureza. “Existe, sim, uma tecnologia no desenho das habitações indígenas”, enfatizou Portocarrero, em resposta àqueles que ainda duvidam que estas edificações milenares não possuem valor arquitetônico, tecnológico e cultural.

Saiba mais sobre o Contecs 2019:  https://www.caumt.gov.br/contecs-reune-mais-de-250-pessoas-para-debater-sustentabilidade-nas-construcoes/

  • Terça-feira, 23 de Julho de 2019