Notícias

CASO DE SUCESSO - Clínica Veterinária Panvet

Clínica veterinária se torna vitrine de energia solar fotovoltaica no Pantanal de MT

Clínica veterinária se torna vitrine de energia solar fotovoltaica no Pantanal de MT

Por Vanessa Brito

A preocupação com o meio ambiente -- atrelada a necessidade de melhorar os resultados do negócio -- foi a principal motivação a fazer com que o médico veterinário e empresário Reginaldo Bicudo Jr investisse no uso de energia solar fotovoltaica para abastecer sua clínica veterinária chamada Panvet, localizada em Cáceres, no Pantanal de Mato Grosso.

Há 21 anos no mercado, o empreendimento funciona, há quase quatro, com 100% de energia solar. A Panvet se tornou uma espécie de vitrine da tecnologia solar fotovoltaica na região. Reginaldo recebe empresários, fazendeiros e outros interessados em investir em micro e miniusinas fotovoltaicas, visando reduzir custos dos negócios ou domésticos.

A ideia de implantar uma fonte renovável de energia surgiu em 2015, quando o médico veterinário desembolsou R$ 6,7 mil para pagar uma conta de luz da clínica. O valor assustou e originou a procura por uma solução.

Hoje, o fornecimento de energia é feito a partir de uma microusina de microgeração de energia solar, composta por 160 placas fotovoltaicas, que geram 40 kWp. A iniciativa foi implantada em meados de 2016. Foi a primeira microusina fotovoltaica da região de Cáceres.

A fonte de energia renovável e limpa deu tão certo que, após a instalação e bons resultados na clínica, o empresário também instalou placas fotovoltaicas em sua residência. "Posso afirmar, que foi o melhor investimento que já fiz", declara.

A clínica é altamente dependente de energia, pois usa chuveiro elétrico para aquecer água de banho de cães e gatos, mantém o ambiente refrigerado na área de hospedagem da ‘clientela’, usa de raio-x digital, entre outros serviços.

O empreendimento de Reginaldo também adota outras boas práticas sustentáveis: sistema de raio-x digital, que não usa produtos químicos; sistema de captação de água de chuva para serviços de limpeza; e reaproveitamento da água do ar-condicionado.

Busca por informações

Na busca por informações sobre tecnologia solar e custos, Reginaldo encontrou preços muito altos e chegou a desistir. Foi depois de participar do Ciclos-Congresso Internacional de Sustentabilidade, realizado pelo Sebrae MT em Cuiabá, que voltou a pensar na ideia.

No evento, encontrou especialistas, assistiu palestras, debates, fez contatos e viu que era possível. “Encontrei empresas fornecedoras, bancos e linha de crédito para financiar projeto de microgeração fotovoltaica. Foi uma descoberta incrível, graças a participação no congresso”, enfatiza. 

Ele observa que as informações sobre tecnologia solar ainda são pouco divulgadas no país, especialmente sobre as linhas de crédito para financiar usinas de microgeração.

A iniciativa de Reginaldo inspirou outros empresários do Pantanal mato-grossense, que também implantaram microusinas em seus negócios.

Crédito

A elaboração do projeto, aquisição de equipamentos e as obras da usina foram financiadas pelo Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO) do Banco do Brasil.

Ao todo, foram investidos R$ 250 mil, financiados ao empresário em cerca de cinco anos. A vida útil dos painéis fotovoltaicos é de 25 anos.

https://www.facebook.com/panvetpetstore/

*Caso de sucesso atualizado por André Souza em 25.10.2019

  • Sexta-feira, 25 de Outubro de 2019