Notícias

Ciclos 2019 - Gestores Públicos

Gestores públicos participam de encontro

Gestores públicos participam de encontro

Por Assessoria de Imprensa / Rita Comini

Experiências de lugares tão distintos como Brasil, Israel, Portugal e Butão (no interior da Ásia), são apresentadas a gestores públicos de municípios de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Eles participam do Encontro de Secretários de Municipais Cidade Empreendedora e Sustentável, que acontece durante Ciclos - Congresso Internacional de Sustentabilidade para Pequenos Negócios, 23 e 24/05, no Centro de Eventos do Pantanal.

Ao abrir a programação, Gabriel Eigner apresentou Israel como um país de contrastes, com cidades muito diferentes sob o ponto de vista da gestão pública e mostrou algumas estratégias usadas no gerenciamento de cidades e como fazem para superar os desafios e fomentar o desenvolvimento local utilizando a inovação como principal motor de transformação.

Ele ressaltou que cidades inteligentes não se resumem a tecnologias, mas sim ao uso que se faz dela. E destacou pontos como educação - em Israel 35% da força de trabalho tem formação superior e 47% técnica certificada -; segurança, que usa sistema operacional, central de emergências, câmeras estratégicas, integração imediata de informações e big data; gestão de lixo, recicláveis, poluição ambiental, uso racional de água e tratamento de resíduos, incluindo resíduos sólidos, inclusive roupas e tecidos, como aspectos que fazem a diferença.

A italiana Susanna Marquionni apresentou o projeto da Smart City Lagunas, desenvolvido em parceria com a prefeitura de São Gonçalo do Amarante, no Ceará, para a construção de uma cidade inteligente com impacto social.

Morando em Fortaleza há 16 anos, ela lembrou que o Brasil é o quinto país com maior déficit habitacional do mundo. Ao apresentar o projeto, ela disse que trabalham com recursos próprios, sempre com economia de escala, em áreas entre 150 e 200 hectares e em locais com grande déficit habitacional.

Já a portuguesa Ana Fragata, diretora executiva do Fórum Internacional de Cidades Inteligentes e Sustentável de Portugal, apresentou exemplos de iniciativas de cidades sustentáveis na Europa e Portugal, como Helsinque, Florença, Copenhagen.

Especificou projetos que veem sendo desenvolvidos em pequenas cidades portuguesas, como Guimarães, no norte do país, que investe na educação ambiental, na melhoria da qualidade do ar da água para consumo humano, bem como na agricultura sustentável e desenvolvimento rural. Por tudo isso e muito mais, o município venceu o Prêmio ECOXXI em 2017 e 2018.

Já em Vila Nova de Famalicão, o foco de atenção é a água. Fragata destacou que em Portugal, 99% da população tem acesso a água tratada e que existe a consciência do quão esse serviço é. O município de 120 mil habitantes faz uma gestão eficiente do uso da água, com a medição em tempo real das possíveis perdas na rede de distribuição, bem como do tráfego de veículos, nas vias de comunicação e iluminação pública.

Citou ainda Braga, que com 180 mil habitantes, trabalha na implantação de um serviço de transporte público para melhorar a questão da mobilidade, bastante comprometida pelo uso excessivo do transporte individual.

Prefeito de Cáceres, Francis Maris Cruz, um dos participantes do evento, comentou as inúmeras ideias apresentadas pelos palestrantes e que não necessariamente exigem altos investimentos. “A importância de eventos como esses é que você sempre descobre uma ideia inovadora e simples, fácil de aplicar, perfeitamente adaptável à realidade de sua cidade.”

Valter Kuhn, prefeito de Terra Nova do Norte, (PR), vencedor do Prêmio Sebrae Prefeito Empreendedor, na categoria Inovação e Sustentabilidade com o projeto Carbono Zero, falou da importância de participar de eventos como o Ciclos. “Nós precisamos participar de eventos que nos puxem pra cima, que faz a gente pensar que possível fazer diferente porque alguém está fazendo. É claro que tem realidades muito diferentes que não se aplicam na nossa, por exemplo, mas tem muitas coisas que se aplicam sim, principalmente essa forma de encarar a gestão pública. A gente precisa encarar com esse espírito, vamos fazer, fazer melhor, com as ferramentas que temos, como os problemas que temos, temos que encontrar soluções. Ao mesmo tempo, a gente precisa colocar o pé na estrada para chegar nos níveis desse pessoal”.

Nesta quinta-feira, o grupo assiste às palestras sobre cultura como ativação para o desenvolvimento local sustentável, com Mário Alves; a delegação do Butão fala sobre políticas públicas para o desenvolvimento da Felicidade Interna Bruta e desenvolvimento de iniciativas de parcerias com a iniciativa privada e de empreendedorismo no contexto do desenvolvimento do país asiático.

O Ciclos é um evento do Sistema Sebrae, organizado pelo Centro Sebrae de Sustentabilidade, com apoio da ONU Meio Ambiente e Águas Cuiabá.

  • Sexta-feira, 24 de Maio de 2019